TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO PROSTATISMO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO PROSTATISMO

Mensagem  Diego Luiz em Sex Mar 08, 2013 8:12 am

GRADUAÇÃO DOS SINTOMAS DE PROSTATISMO /International Prostate Symptom Score (IPSS)
Total da graduação: varia entre 0 e 35, desde a ausência de prostatismo (em 0) até ao máximo de sintomatologia de prostatismo (35).

São realizadas 7 perguntas com as seguintes pontuações:
1. Durante o último mês ficou com a sensação de não ter esvaziado a bexiga completamente, quando acabou de urinar?
2. Durante o último mês, quantas vezes teve necessidade de urinar, num intervalo inferior a 2 horas, depois de ter urinado?
3. Durante o último mês, quantas vezes teve de interromper e recomeçar a urinar várias vezes, enquanto urinava?
4. Durante o último mês, quantas vezes teve dificuldade em retardar a micção?
5. Durante o último mês, quantas vezes lhe pareceu que o seu jacto urinário estava mais fraco?
6. Durante o último mês, quantas vezes teve que se esforçar para começar a urinar?
RESPOSTA E PONTUAÇÃO DAS PERGUNTAS 1 A 6
Se nunca – 0 pontos
Se 1 vez em 5 – 1 ponto
Se menos da metada das vezes – 2 pontos
Se metada das vezes – 3 pontos
Se mais da metade – 4 pontos
Se quase sempre – 5 pontos
7. Durante o último mês, quantas vezes teve que se levantar para urinar (fora do habitual) desde que se deitou para dormir à noite, até que se levantou pela manhã?
RESPOSTA E PONTUAÇÃO PARA PERGUNTA 7 :
Se nunca – 0 pontos
Se 1 vez – 1 ponto
Se 2 vezes – 2 pontos
Se 3 vezes – 3 pontos
Se 4 vezes– 4 pontos
Se 5 vezes – 5 pontos

TOTAL DO ESCORE:
0 a 7: Sintomas leves
8 a 19: Sintomas moderados
20 a 35: Sintomas severos

Além do escore deve-se avaliar a qualidade de vida do pacientes com esses sintomas urinários para avaliuar o uso do tratamento medicamentoso ou cirúrgico. Uma questão sugerida pelo IPSS é:
Se você tivesse que passar o resto de sua vida com sua condição urinária do jeito que está agora, como você se sente sobre isso?
Pontuação a ser somada ao ESCORE:
SATISFEITO - 0 PONTOS
CONTENTE – 1 PONTO
PARCIALMENTE SATISFEITO – 2 PONTOS
MISTO - CERCA IGUALMENTE SATISFEITO E INSATISFEITO – 3 PONTOS
PARCIALMENTE INSATISFEITO – 4 PONTOS
INFELIZ – 5 PPONTOS
TERRÍVEL – 6 PONTOS

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

The decision to treat is usually based on the severity of symptoms and the patient's tolerance for these symptoms. Use of the AUA symptom score (also known as the International Prostate Symptom Score [IPSS]) permits quantitation of symptom severity and monitoring of symptom progression over time. Additionally, the IPSS adds a question about "bother" to the AUA score. These questionnaires are easy and quick to complete; however, not all clinicians use them to assess symptoms.
Urine flow rate during voiding can also be easily measured. This is a noninvasive test that is readily available to urologists, but usually is not available to primary care clinicians. Thus, medical treatment usually is initiated on the basis of symptoms in the primary care setting.
When symptoms occur in the setting of autonomic or severe peripheral neuropathy or following invasive treatment of the urethra or prostate, patients should be referred for urologic evaluation rather than started on treatment by a primary care clinician.
AGENTS — The bladder outlet obstruction of BPH has two components:
• A dynamic (physiologic, reversible) component related to the tension of prostatic smooth muscle in the prostate, prostate capsule, and bladder neck
• A fixed (structural) component related to the bulk of the enlarged prostate impinging upon the urethra
Two classes of drugs, alpha-adrenergic antagonists and 5-alpha-reductase inhibitors, act upon the dynamic and fixed components of bladder outlet obstruction, respectively.
Alpha-adrenergic antagonists appear to be more effective than 5-alpha-reductase inhibitors for short-term and long-term treatment of BPH/LUTS. However, only 5-alpha-reductase inhibitors have demonstrated the potential for long-term reduction in prostate volume and need for prostate surgery. The use of agents from both classes in combination may be superior to using either class alone.
Antiandrogens and gonadotropin-releasing hormone (GnRH) agonists also have been used. GnRH agonists may be somewhat more effective for BPH/LUTS than the above medications, but the resulting androgen deficiency generally makes their use unacceptable to patients.
Studies, using surveys and claims data, have examined which therapies are most commonly chosen for patients. In the United States, many patients are initially managed with watchful waiting; those who are prescribed a medication are most likely prescribed an alpha-adrenergic antagonist. Initial management with watchful waiting appears to be somewhat less common in Europe; initial therapy with an alpha-adrenergic antagonist appears to be most common.

REFERÊNCIAS:
http://www.uptodate.com/contents/image?imageKey=PC/57680&topicKey=PC%2F6891&source=outline_link&utdPopup=true
http://www.uptodate.com/contents/medical-treatment-of-benign-prostatic-hyperplasia?source=see_link#H3

Diego Luiz

Mensagens : 10
Data de inscrição : 27/11/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum